Perdas de Água 2018


Desafios para Disponibilidade Hídrica e Avanço da Eficiência do Saneamento Básico

A pesquisa baseia-se nos dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS – ano de referência 2016), incluindo perdas na distribuição e faturamento.

Essas perdas são consequências de vazamentos nas tubulações, erros de leitura de hidrômetros, roubos, fraudes etc. De acordo com o estudo, a perda média do país gira em torno de 38%, ou em outras palavras, quase 7 mil piscinas olímpicas de água potável perdidas todos os dias no país. Estas perdas de água geram um impacto monetário grande e preocupante. Os cálculos mostram essas perdas corresponderam a R$ 10,560 bilhões em 2016, o equivalente a 92% de todo o valor investido pelo setor de saneamento básico no mesmo ano em todo país (R$ 11,5 bilhões).

Além dos dados nacionais, o estudo apresenta uma comparação internacional da porcentagem de água potável que os países, incluindo o Brasil, perderam nesses anos. Além desse recorte internacional, na pesquisa são apresentados recordes da porcentagem de perdas por região, perdas nas 100 maiores cidades do Ranking do Saneamento, ganhos, cenários econômicos e ganhos futuros com redução de perdas e casos positivos.


Desenvolvido por: Rede Brasil do Pacto Global, Instituto Trata Brasil e GO Associados


Data da publicação: maio de 2018


Preencha o formulário abaixo e acesse o conteúdo

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.